O que é avaliação Neuropsicológica?

Gente de Atitude!

Como vocês sabem, tenho me especializado em neuropsicologia e neurociência. Por isso, convidei a psicóloga Julia Kuczynski, especialista na área, para explicar com mais detalhes o que é uma avaliação neuropsicológica. Muitas pessoas não sabem do que se trata, e tenho certeza que vai ajudar vocês a entenderem um pouco mais sobre essa área que pode nos ajudar (e muito!) em todas as fases da nossa vida. Vamos conferir?

“O paciente procura o profissional motivado por uma queixa, que será investigada a fundo, a fim de colher informações de dados de história pessoal e familiar, bem como desempenho prévio e pós queixa. Então uma bateria de instrumentos é selecionada pelo neuropsicólogo, buscando mensurar CADA função cognitiva, estabelecendo um perfil de desempenho, o qual deverá apontar as habilidades e dificuldades apresentadas por este paciente. A escolha de tais instrumentos é feita a partir da queixa relatada e deve estar de acordo com a padronização e normatização brasileira, isto é, os testes devem ser aprovados pelo Conselho Federal de Psicologia para garantir sua validação.

Somado aos dados de anamnese e aos testes aplicados, o profissional também utilizará informações de exames clínicos e de imagem (como Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética do Crânio) solicitados pelo médico, para identificar alterações que justificariam a queixa do paciente e seus resultados qualitativos e quantitativos. Muitas vezes, embora não haja alterações nos exames de imagem o sujeito pode apresentar déficits capazes de interferir na sua vida diária. Por este motivo, a anamnese, os testes e os exames não são suficientes em si, mas fornecem muitas informações importantes quando analisados em conjunto.

neuropsicologia_neurociencia_avaliação

Uma vez realizada a avaliação neuropsicológica, é possível confirmar ou descartar a hipótese diagnóstica inicial. Havendo necessidade de tratamento, o profissional cuidará de fazer os devidos encaminhamentos. Podem ser eles: reabilitação neuropsicológica, na qual o próprio avaliador pode dar continuidade, ou acompanhamento por outros profissionais da saúde e suas respectivas especialidades, como fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicoterapeuta e médico. Apesar de capacitado para avaliar os pacientes, o neuropsicólogo NÃO ESTÁ APTO A MEDICAR, a menos que também tenha formação em medicina. Sendo assim, torna-se imprescindível somar esforços, buscando um trabalho multidisciplinar a fim de proporcionar um atendimento/tratamento mais completo ao paciente. Este ainda é um campo em crescimento tanto em pesquisa como na área clínica e desperta grande curiosidade da população e dos profissionais, além do aumento demanda motivada por pessoas que buscam uma melhor qualidade de vida e melhor desempenho nas atividades de vida diárias.

Julia Youssef Kuczynski
CRP 06/102551
Psicóloga e Especialista em Psicologia da Saúde com ênfase em saúde mental, método Rorschach e especializando-se em Neuropsicologia pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *