Desafio dos 21 dias sem reclamar

QUEIXA: s.f. Ação ou efeito de queixar-se. Lamento, desgosto, ressentimento. Vem do latim quassiare, que significa golpear violentamente. É um amplo espectro de ações, mas que tem um significado comum: caráter negativo.

Quantas vezes eu já não me peguei reclamando do dia que está frio, do Fábio que não molha a xícara que toma café e aí fica difícil de lavar, do trânsito, do Nick que faz xixi na varanda, de alguém que me deixou esperando, do despertador que não tocou e eu não levantei pra correr, da Duda que enrola pra dormir? E aí, quando vou fazer uma análise do que isso provoca no meu dia, eu vejo que pequenas coisas têm a capacidade de estragar o resto dele. Vejo que desperdiçamos muita energia em coisas muito pequenas, que deixamos coisas corriqueiras estragarem nosso dia, quando na verdade, deveríamos focar nas coisas relevantes. E acreditem vocês ou não, cheguei à conclusão que reclamava menos na época que fazia quimio, do que agora que estou “curada”.

Quantas vezes você já ligou pra um amigo, perguntou como ele como ele está e ele começa a desfiar um rosário de reclamações? Vocês gostam de ouvir? Eu não! Mas será que muitas vezes também não somos assim? Reclamar vira um hábito tão rápido, que acabamos nem percebendo que está acontecendo.

Todos esses pensamentos vieram à minha cabeça, quando vi um Desafio no Hypeness exatamente sobre isso. O desafio era: ficar UMA SEMANA sem reclamar das pequenas coisas e tentar perceber o que muda na sua vida. Se reclamar, tem que começar a contar tudo de novo!  Juntaram-se a isso os estudos que tenho feito sobre PNL e a tarefa que me dei de tentar usar menos a palavra NÃO. Sempre que eu fosse escrever ou falar alguma coisa na negativa, tentar transformar para positiva. E digo, há uma semana venho tentando fazer isso e é difícil demais! Nós assumimos um padrão negativo, é impressionante!

Por isso, depois de ler o artigo, resolvi entrar nesse desafio. Só que me propus a ficar 21 dias sem reclamar de “picuinha”. E por que? Porque os hábitos, sejam bons ou ruins, nunca desaparecem de fato. O problema é que nosso cérebro, não sabe a diferença entre um hábito bom e um ruim, por isso, se você tem um hábito ruim, ele está ali, à espreita, esperando a deixa pra voltar. E não é só não reclamar verbalmente. É não bufar, não virar o olho pra cima, não falar internamente “mas que saco!”. Chega de usar não! Só nesse parágrafo, olha quantos foram! Seis!!!

Obviamente não é eu vá viver um conto de fadas por 21 dias, mas no momento da reclamação, parar, respirar, pensar e já vir com a solução, a atitude positiva, o questionamento e a discordância seguido de “o que podemos fazer de diferente?”. Tenho certeza que vou me surpreender com algumas coisas.

Então, minha proposta pra você é: Use um elástico no dedo e cada vez que se pegar reclamando, dê uma estilingada. Você vai se surpreender com a quantidade de vezes que reclama “por nada” em um dia. Faça um pequeno diário, pode ser no bloco de notas mesmo, contando suas impressões e dificuldades.

Escolhi dia 01 para começar, por simbolizar o início de alguma coisa, sempre.  Mas você pode parar de reclamar agora mesmo e ter um melhor dia, uma melhor semana, um melhor mês!

Quem vem nesses 21 dias com a Escola de Felicidade?

 

Déborah Aquino
Positive Coach e Escritora do livro Num Piscar de Olhos
Deborah@blogdadebs.com.br | 11 974430123
youtube.com/atitudemocional
http://www.facebook.com/escoladefelicidadeoficial
Instagram: @debsaquino / @escoladefelicidadeoficial

 

Proibida reprodução sem autorização legal do autor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s